Darwin é seu cliente!

Art 646 -Darwin é seu cliente

Não é mais forte. Não é o mais inteligente. Mas, somente o mais bem adaptado que sobrevive.
Neste ritmo 2015 será um grande seletor de espécies na indústria, comércio e serviço. Seu consumidor embora não tenha barba grande, nem jeitão de cientista, tem grande poder de mutação e uma natureza bem agressiva quando assunto é selecionar o que lhe interessa.
Comumente em consultoria ouço clientes dizendo que não é compreendido por seus consumidores, a má notícia é que jamais seremos. Quem compra, não compreende a si mesmo, por vezes, e nunca, a quem vende. É da prerrogativa de quem compra olhar com distinção ao seu próprio umbigo e com descaso a quem vende.
2015 começa com as despesas de sempre, adicionado ao racionamento de água, sobretarifa de energia, aumento dos combustíveis, aumento de impostos em diversos segmentos como bebidas, cosméticos e combustíveis (novamente), rombo nas contas públicas e nenhuma vontade de gastar melhor o seu suado dinheiro arrecadado nos impostos, assim seu negócio, emprego e oportunidade estão ameaçados e precisam se adaptar.
Gestão, relacionamento com cliente, fornecedores, recall de marca, capacidade de ofertar ao tempo certo, ao preço adequado, no lugar preferido, o item desejado com o servido esperado é sua grande chance de não ter um ano ruim.
Estamos só. Sem planejamento macro que ajude, sem uma economia forte. Quem tem a companhia de seus clientes fieis, viverá o ano melhor, quem não os tem, é bom buscar isso rápido, e vale ainda uma figa para economia mundial seguir bem, pois se o mundo espirrar teremos pneumonia, sem sequer médicos cubanos para nos tratar.
A palavra de ordem não é inovação, não é tradição, mas sim adaptação. Vamos precisar nos adaptar. Adaptar não é mudar sua essência, mas pode ser, adaptar não é mudar de cliente, mas pode ser, adaptar não mudar o resultado, mas pode ser. O que dificilmente acontecerá em 2015, será a sua capacidade ou mesmo possibilidade de manter tudo como estava.
O consumidor vai mudar mais que o normal, pois seu cinto está sendo apertado pelo governo, seus desejos impulsionados pela publicidade e sua autoestima derrubada, afinal andar para trás não alegra ninguém. Neste cenário prevalecerá a natureza mutante do consumidor. Uns vão deixar de comprar picanha, mas manterão o churrasco com carnes menos nobres, outros deixarão de comprar roupa para manter sua picanha, e haverá aqueles que cancelarão o churrasco para comprar a roupa. Mas não se engane, inevitavelmente, há quem perderá o poder de fazer churrasco e comprar roupa, pois sem emprego tudo fica impossível.
Adapte sua empresa, seja ela qual for, a 2015 ou corra o risco de não estar disponível em 2016. É sabido que não se alcança o progresso sem mudança, mas neste caso pode ser que a mudança seja apenas para regular o tamanho do seu regresso.
Imagino Darwin vendo tudo isso, coçando sua imensa barba sugeriria: Adapte-se a este novo mundo. Ainda que não seja para ganhar asas que seja ao menos para não perder seus pés, porque o seu chão já tiraram.

“Roberto Mendes é publicitário, especialista em marketing pelo Instituto de Administração e Gerência da PUC/RJ, pós-graduado em Engenharia Ambiental, professor titular da Universidade Candido Mendes e sócio da Target Comunica.”